quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

RENDA FILÉ - RECONHECIMENTO DO ARTESANATO ALAGOANO

A renda filé, ícone do artesanato de Alagoas, produzido pela região do Complexo Estuarino Lagunar Mundaú-Manguaba (CELMM), está em processo de obtenção da Indicação Geográfica (IG). O selo, concedido pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), representa uma espécie de reconhecimento oficial sobre a especificidade de uma área.

À frente dessa iniciativa está a Secretaria de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico (Seplande), coordenador em Alagoas do Programa do Artesanato Brasileiro (PAB) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), tendo como parceira a Universidade Federal de Alagoas (Ufal).
A demarcação territorial, processo fundamental para obtenção da Indicação Geográfica, foi realizada por meio do trabalho colaborativo de alunos do Instituto de Geografia, Desenvolvimento e Meio Ambiente (IGDEMA) e do Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Ufal. Nesta etapa, também houve a colaboração direta da Seplande. “Além do fornecimento de dados cartográficos sobre a área do CELMM, houve a construção de mapas provisórios pelos quais ensaiamos, diversas vezes, a delimitação da área para a solicitação da IG” afirma o professor da Ufal, e também atuante no projeto, Bruno Cavalcanti.
Embora a confecção do bordado não se limite à região do CELMM, é lá onde se encontra a produção mais expressiva do filé. De acordo com o professor Bruno Cavalcanti, o selo de qualidade terá o peso de uma proteção comercial.
“Ele atuará como uma característica distintiva em relação a outras áreas que, por ventura, produzam o filé. Além da importância econômica desse registro, ocorrem ganhos igualmente mais vastos, de natureza simbólica e social, para além dos objetivos do comércio e da produção” explica.A assessora especial da Seplande, Vânia Amorim, afirma que as expectativas para obtenção do selo estão bem altas. “Em termos econômicos, estima-se aumento de até 30% na venda dos artesões, além, é claro, da valorização mercadológica do filé. Do ponto de vista dos produtores, espera-se um maior reconhecimento desse trabalho. Posteriormente, através da participação de agentes públicos, esperamos uma potencialização dessa atividade nos demais municípios alagoanos” conclui.

EU AMO RENDA FILÉ, TENHO UMA TOALHINHA MUITO LINDA BEM NA MINHA MESA DA SALA...E VOCÊS O QUE ACHAM? EU PARTICULARMENTE ADOOOORO ARTESANATO EM GERAL E ACHO IMPORTANTE QUANDO UM RECONHECIMENTO ASSIM ACONTECE...E VOCÊS O QUE ACHAM?

BJOS

PAULA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente vc tbém!!!